Finn

Com certeza você já deve ter ouvido falar dos antioxidantes. Mas será que essas substâncias são mesmo necessárias? Em que alimentos elas estão presentes e qual o seu papel em nosso corpo?

O corpo humano funciona como um grande laboratório químico e diversas reações ocorrem o tempo todo a fim de se manter um funcionamento adequado. Temos, por exemplo, a produção de energia para os músculos se contraírem, hormônios para regular os processos fisiológicos, suor para controlar a temperatura do corpo, produção de anticorpos para a defesa, dentre outros. Contudo, diversos desses processos metabólicos produzem, como subproduto, substâncias conhecidas como radicais livres, espécies muito reativas que podem se unir a componentes de nossas células causando danos e o seu mau funcionamento.

O organismo tem seus próprios meios de eliminar essas substâncias, no entanto, às vezes, ele não é capaz de se desfazer de tudo. Concentrações altas de radicais livres já foram associadas ao aparecimento de doenças, como diabetes, Parkinson, Alzheimer além do envelhecimento precoce. E uma forma de conseguir manter o nível dessas substâncias baixo é com o consumo dos antioxidantes.

Os antioxidantes são compostos que interagem, de forma segura, com os radicais livres antes que estes possam causar danos ao organismo. Eles são comumente encontrados nos vegetais e se dividem em alguns grupos como: vitaminas C e E, carotenoides (beta caroteno e licopeno), polifenóis (como os encontrados no chá, vinho tinto e chocolate), flavonoides (como as isoflavonas encontradas na soja e as antocianinas das frutas vermelhas) dentre outros.

A vitamina C é encontrada em maior quantidade em frutos cítricos como laranja, limão, acerola e morango e seu efeito protetor parece ser maior nas doenças cardiovasculares. A vitamina E é encontrada em oleaginosas como amêndoas, nozes, óleos vegetais e ajuda a proteger as membranas das células. Os carotenoides podem ser encontrados em laranja, tomates, cenouras, batata doce e vegetais de folhas escuras e, seu benefício está mais relacionado à saúde cardiovascular e alguns tipos de cânceres. Os polifenóis e flavonoides, por sua vez, possuem diversas classes e ampla distribuição entre os alimentos e possuem potencial anti-inflamatório ajudando na prevenção de alguns tipos de cânceres.

Os antioxidantes naturalmente presentes nos alimentos são melhor absorvidos do que aqueles encontrados em suplementos, que garantem ainda outras vitaminas e minerais, além de fibras, essenciais para o bom funcionamento do corpo. Assim, não fiquem sem essa proteção e consuma cereais e grãos integrais, frutas, verduras, legumes e sementes diariamente!

Referências:
Li S, Chen G, Zhang C, Wu M, Wu S, Liu Q. Research progress of natural antioxidants in foods for treatment of diseases. Food Science and Human Wellness 2014; 3: 110-116.
Oroian M, Escriche I. Antioxidants: Characterization, natural sources, extraction and analysis. Food Research International 2015; 74:10–36.