Finn

O corpo humano é constituído por aproximadamente 60% de água, um componente essencial que desempenha diferentes funções no corpo, auxiliando em processos fisiológicos como digestão, absorção e excreção, além de ajudar a regular a temperatura corporal. Mas você sabia que quando estamos desidratados, ou seja, quando eliminamos mais líquidos do que conseguimos repor, podemos sentir sintomas importantes que vão desde sede excessiva e perda de apetite até sinais mais graves, como tonturas, fraquezas, dificuldade para se concentrar e regular a temperatura corporal. Mas como sabemos se estamos nos hidratando de forma adequada?

Uma forma simples é prestar atenção na coloração da urina, que deve estar bem clara. Urina muito escura ou em pequenas quantidades é um sinal de alerta de que precisamos beber mais líquidos! Além disso, mucosas ressecadas como olhos, nariz e boca são sinais que o corpo precisa ser hidratado. Também é importante redobrar a atenção com a hidratação de crianças pequenas e idosos. Isso porque, no primeiro caso, os rins ainda não estão completamente desenvolvidos e no segundo há uma diminuição na percepção da sede, o que aumenta o risco de desidratação. Indivíduos com diarreias e vômitos também merecem atenção especial e, caso não consigam repor os fluidos perdidos, devem procurar ajuda médica.

Mas não é só a água que nos ajuda a repor os líquidos perdidos, bebidas como os chás, a água de coco, o leite e os sucos também contribuem para a boa hidratação. Frutas inteiras e vegetais costumam ter bastante água em sua composição, por isso precisamos consumir pelos menos 3 porções de frutas e 2 de vegetais todos os dias que, além de refrescantes, apresentam vitaminas e minerais essenciais para o corpo. A melancia, por exemplo, apresenta 90% de água em um pedaço, enquanto que o pepino contém cerca de 95% na unidade.

Caso não consiga beber muitos líquidos, principalmente na forma de água mineral, ao longo do dia, a dica é adicionar folhas de hortelã e frutas cítricas na água gelada. O sabor irá estimular a sede e, consequentemente, o consumo da água! Cuidado apenas com as bebidas alcoólicas. Elas inibem o hormônio antidiurético, fazendo com que o corpo elimine uma quantidade maior de líquidos e desidrate.

Referências
Pereira-Lancha LO, Marquezi ML, Lancha Jr AH. Reposição hídrica. In: Lancha Jr AH, Pereira-Lancha, LO. Nutrição e Metabolismo: Aplicados a Atividade Motora. 2ª edição. São Paulo: Editota Atheneu, 2012.
Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA – UNICAMP.- 4. ed. rev. e ampl.. -- Campinas: NEPA- UNICAMP, 2011. 161 p.
Whitmire SJ. Água, eletrólitos e equilíbrio ácido-base. In: Mahan LK, Escott-Stump. Krause Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 10ª edição. São Paulo: Roca, 2002.