Finn

Estudos científicos indicam que uma pessoa com Síndrome Metabólica apresenta risco duas vezes maior de desenvolver doenças do coração do que uma pessoa saudável.

Mas afinal, o que é Síndrome Metabólica? A síndrome metabólica é um conjunto de doenças, ou sintomas, que aumentam o risco de desenvolver problemas no coração, e que geralmente estão associados à circunferência de cintura aumentada e a resistência à insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas e que é essencial para metabolizar o açúcar adequadamente.

A Síndrome Metabólica surge principalmente devido aos hábitos de vida não saudáveis como a alimentação rica em gorduras saturadas, colesterol, açúcares e o sedentarismo.

O excesso de peso está fortemente relacionado ao desenvolvimento da Síndrome Metabólica: mais da metade das pessoas que apresentam obesidade, possuem a síndrome. Especialistas relatam ainda que o ganho de pelo menos 2,5 Kg por ano, por um período contínuo, aumenta as chances de desenvolver a síndrome em até 45%.

Mas como saber se você tem essa síndrome? De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, pacientes com três ou mais dos critérios na tabela abaixo, são diagnosticados como portadores da síndrome

Componente Níveis
Circunferência de cintura
homem superior a 102 cm
mulher superior a 88 cm
Hipertensão arterial >130mmHg ou > 85 mmHg
Glicemia de jejum >110mg/dL(ou diabetes)
Triglicérides >150 mg/dL
HDL - colesterol “bom”
homem <40mg/dL
mulher <50mg/dL

Fonte: SBC

Mas a boa notícia é que a medicina e a nutrição já evoluíram muito no tratamento e controle da Síndrome Metabólica. O tratamento, bem como a prevenção da síndrome, está focado em mudanças dos hábitos de vida.

A redução do peso é o primeiro passo. Uma alimentação saudável, com consumo controlado de alimentos altamente energéticos, como os açúcares e as gorduras, tem grande impacto no controle do peso. Além da reeducação alimentar, a prática de exercícios físicos mostra resultados positivos tanto para a prevenção quanto para o tratamento.

Hábitos saudáveis previnem não apenas a síndrome metabólica, como também outras doenças como o diabetes e problemas de colesterol, que afetam o coração. Além disso, exercitar-se e a boa alimentação garantem mais energia, disposição e melhor qualidade de vida.

Lembre-se que consultas regulares com um profissional de saúde também são importantes para uma avaliação e orientação sobre o estilo de vida saudável de forma individualizada.

REFERÊNCIAS:

Brinkworth GD et al. Weight loss improves heart rate recovery in overweight and obese men with features of the metabolic syndrome Am Heart J. 2006;152:693.e12693

Brook RD et al. Effect of Short-Term Weight Loss on the Metabolic Syndrome and Conduit Vascular Endothelial Function in Overweight Adults Am J Cardiol.2004;93:1012–1016

Sociedade Brasileira de Cardiologia. [homepage da internet]. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. [Acesso em 02 de dezembro de 2013]. Disponível em http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2005/sindromemetabolica.asp